14 de julho de 2024

Sobe para 13 o número de mortos no Rio Grande do Sul após temporal

De acordo com a Defesa Civil, o estado ainda tem 5,2 mil desalojados por causa do temporal

Por: Valdir Justino

O estado do Rio Grande do Sul contabiliza 13 mortes causadas pelas fortes chuvas que afetam o estado desde segunda-feira (29/4). De acordo com boletim divulgado pela defesa civil na manhã desta quinta-feira (2/5), entre os 134 municípios afetados, há 5,2 mil desalojados, 21 desaparecidos e 12 feridos por causa dos temporais.

O município de Candelária é o que tem o maior número de desaparecidos, 8 no total, seguido por Encantado (6) e Roca Sales (4).

Chuvas no Rio Grande do Sul 2024
Chuvas no Rio Grande do Sul FAB/Divulgação
Buraco se abre em rodovia após chuvas fortes no Rio Grande do Sul
Buraco se abre em rodovia após chuvas fortes no Rio Grande do Sul PRF/RS
Chuvas no Rio Grande do Sul: corpo é resgatado em carro levado pela enxurrada
Assessoria de Comunicação de Paverama
apoio das Forças Armadas às regiões afetadas pelas enchentes no RS
apoio das Forças Armadas às regiões afetadas pelas enchentes no RS Ministério da Defesa
apoio das Forças Armadas às regiões afetadas pelas enchentes no RS

Santa Maria

O corpo de uma adolescente de 17 anos foi encontrado após um deslizamento de terra ter atingido a casa em que ela morava, em Santa Maria (RS), na quarta-feira (1º/5). A jovem é uma das 13 vítimas do temporal que castiga o Rio Grande do Sul. A mãe da garota, que também desapareceu, ainda não foi encontrada.

De acordo com a Polícia Civil do estado, a jovem, a mãe, o pai e o irmão estavam dentro da casa em que moravam quando o imóvel foi atingido por uma pedra, que caiu de um morro no bairro Itararé, após o forte temporal. O pai e o irmão foram resgatados e encaminhados para atendimento médico. Já as buscas pela mãe da adolescente precisaram ser encerradas na noite de quarta-feira (1º/5), por causa da dificuldade de visibilidade e instabilidade climática, mas devem ser retomadas nesta quinta-feira (2/5).

Apenas em Santa Maria, caíram, em três dias, 436,2 milímetros de chuva, o triplo do esperado para um mês, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

Estado de calamidade

Em edição extra do Diário Oficial do Estado, publicada na noite de quarta-feira (1º/5), o governo do Rio Grande do Sul declarou estado de calamidade pública. O governador Eduardo Leite (PSDB) afirmou que as chuvas vão ser o “maior desastre” que o estado já enfrentou.

“O que precisamos alertar a população, infelizmente, é que, sim, vai ser pior do que o que a gente viu em setembro do ano passado em termos de localidades que serão atingidas. Não na velocidade que tivemos no ano passado. Infelizmente, deverá ser pior em questão da cota que será atingida”, afirmou o governador a jornalistas.

presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) viajará para o Rio Grande do Sul nesta quinta-feira (2/5). A visita do petista foi confirmada pelo governador gaúcho. Ele reforçou a necessidade da participação do governo federal nas ações de apoio aos municípios atingidos pelas fortes chuvas registradas desde o início desta semana.

“Conversando com o presidente Lula, ele me manifestou que vai vir ao Rio Grande do Sul amanhã pela manhã. Então, acho que é bastante importante, positivo que venha. Não só para ver o que está acontecendo, mas para ter dimensão da crise que temos, e colocar atenção total, que eu tenho pedido, das Forças Armadas, não apenas para dar apoio às forças do Estado, mas para participar com efetividade”, pontuou Leite.

COMPARTILHE ESSA NOTÍCIA:

Facebook
Twitter
LinkedIn