14 de julho de 2024

Silente por dez dias, Lula diz que ‘mulher não foi feita pra apanhar’

Por: Valdir Justino

Após dez dias do surgimento do caso, e sem se manifestar, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez um discurso repudiando a violência doméstica, em meio às acusações contra seu filho mais novo, Luis Cláudio Lula da Silva. Segundo Lula, “mulher não foi feita para apanhar”.

– Neste país, existe muita violência contra mulher, e violência, às vezes dentro de casa, que o marido não respeita muitas vezes a mulher – disse.

A fala do petista aconteceu na cerimônia de lançamento da Pedra Fundamental do Campus Sol Nascente do Instituto Federal de Brasília (IFB), na região administrativa da capital federal, nesta quinta-feira (11).

No discurso, Lula relembrou da história de sua mãe, Dona Lindu, e de seu pai que, segundo o presidente, era um “homem muito bruto” e batia nos filhos.

– A mulher não foi feita para apanhar – comentou.

As declarações ocorreram na esteira da defesa do presidente sobre a importância de um emprego, especialmente para a mulher.

– Normalmente, as pessoas falam que, quando o marido dentro de casa bate na mulher, ela fica com ele porque ela depende dele para comer – comentou.

Diante disso, o petista voltou a defender a igualdade salarial entre homens e mulheres que exercem a mesma função.

– Tem gente que não quer pagar salário igual para homem e mulher – lamentou.

As falas de Lula, contudo, ocorrem em meio às acusações contra seu filho de praticar violência contra mulher. Uma médica de 29 anos registrou boletim de ocorrência online e acusou o filho mais novo do chefe do Executivo de agressões físicas e psicológicas. Os dois mantiveram relação nos últimos dois anos, mas se separaram, segundo ela, depois de a mulher descobrir supostas traições de Luis Cláudio.

O documento cita cinco acusações contra Luis Cláudio (violência doméstica, ameaça, vias de fato, violência psicológica contra a mulher e injúria). Advogados do filho de Lula disseram que as declarações são “fantasiosas” e pedirão reparação por danos morais.

Por: Pleno.News

COMPARTILHE ESSA NOTÍCIA:

Facebook
Twitter
LinkedIn