14 de julho de 2024

Demissões por justa causa batem recorde em janeiro

Por: Valdir Justino

Em janeiro, ocorreram 39.511 demissões por justa causa no Brasil, de acordo com levantamento realizado pela LCA Consultoria Econômica, com base em dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego. O número foi o maior já registrado pela série histórica da análise, que começou em 2004.

De acordo com a LCA, além de recorde, o total de desligamentos por justa causa de janeiro deste ano foi 11,5% maior do que os 34.131 observados em dezembro. Ele ainda corresponde a uma elevação de 25,6% sobre as 31.454 demissões de janeiro de 2023 – um ano antes, portanto.

Os números de fevereiro, embora menores, foram elevados: 35.667 cortes por justa causa, o patamar mais alto para o segundo mês do ano. Ele superou em 25,9% os 28.310 desligamentos de fevereiro de 2023, por exemplo.

Os especialistas acreditam que o salto das demissões por justa causa pode estar relacionado a pelo menos dois fatores. Um deles é a sazonalidade, uma vez que, em janeiro, esse tipo de desligamento aumenta à medida que as empresas revisam metas e expectativas de crescimento.

A segunda causa da elevação pode ser metodológico. Isso porque, desde 2020, o Caged – a fonte dos dados da LCA – tem ampliado a abrangência da coleta de informações sobre desligamentos e admissões de trabalhadores no Brasil.

Mercado de trabalho forte

Mas o saldo entre a criação e as demissões de trabalhadores com carteira assinada tem sido positivo – e crescente no Brasil. De acordo com o mesmo Caged, o Brasil criou 306.111 empregos formais em fevereiro de 2024. O número foi resultado da diferença entre 2.249.070 admissões e 1.942.959 demissões. Ele representa um avanço de 53.624 vagas (uma elevação de 21,2%), sobre o total de 252.451 postos formais abertos em fevereiro de 2023.

Por: Carlos Rydlewski

COMPARTILHE ESSA NOTÍCIA:

Facebook
Twitter
LinkedIn