12 de julho de 2024

Pesquisa CNT: avaliação positiva do governo Lula cai e chega a 37,4%

Pesquisa mostra pior fase do terceiro mandato de Lula. Em janeiro, a avaliação positiva do governo apontava 43%

Por: charles

A Confederação Nacional do Transporte (CNT) divulgou pesquisa sobre o desempenho do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Segundo os número, o petista teve 37,4% de avaliação positiva (ótima ou boa) e 30% de avaliação negativa (ruim ou péssima). É o pior indicador no terceiro mandato dele.

Em relação ao levantamento feito pela CNT em janeiro deste ano, Lula caiu seis pontos percentuais. À época tinha 43% de avaliações positivas e 28% de negativas.

Pesquisa CNT mostra aprovação do governo em maio de 2024

Pesquisa CNT

Pesquisa CNT mostra aprovação do governo em maio de 2024

Pesquisa CNT

As decisões do chefe do Executivo são boas e ruins na mesma medida segundo 39,9% dos entrevistados – este número era de 36% no levantamento de janeiro. Mas entre aqueles que acreditam que as decisões são boas em sua maioria, o índice caiu de 37% para 29,5%, enquanto o número dos que apontam decisões ruins subiu de 25% para 27,9%.

A comparação com o governo de Jair Bolsonaro (PL) também mostra uma piora desde janeiro. Naquele mês, 48% apontavam que o governo de Lula era melhor que a gestão anterior; agora, este número chegou a 43%. Por outro lado, 29% achavam a gestão do petista pior no primeiro mês do ano; em maio, o índice subiu para 32%.

Pesquisa CNT mostra comparação entre Lula e Bolsonaro
Pesquisa CNT mostra comparação entre Lula e Bolsonaro

“É preciso avançar em projetos e ações que possam dinamizar a economia, reduzir a sensação de insegurança e melhorar o atendimento no serviço público. O relacionamento entre o governo federal e o Congresso deve evoluir para melhorar a percepção de diálogo construtivo e ajuda mútua para o andamento célere de projetos prioritários”, apontou Vander Costa, presidente da CNT, em material distribuído para a imprensa.

Pesquisa CNT de Opinião foi realizada de forma presencial entre os dias 1° a 5 de maio. A associação entrevistou 2.002 pessoas. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais, com nível de confiança de 95%.

Outros pontos da Pesquisa CNT

  • Segurança pública

Quando perguntados sobre a segurança, 40% dos entrevistados acreditam que a maior causa de violência no Brasil esteja relacionada ao tráfico e uso de drogas, e logo em seguida, com 37,2% esteja ligado a corrupção.

Segundo o CNT, 77,4% afirmam que as saidinhas devem ser proibidas. Contra 19,8% dos que dizem que devem ser mantidas, pois incentiva o detento ao bom comportamento. O projeto de lei que restringe a saidinha temporária dos detentos em datas comemorativas foi aprovado pela Câmara dos Deputados em março deste ano.

  • Eleições municipais

Para as eleições municipais, que acontecem em outubro deste ano, 31,3% vão votar em apoiadores ou apoiados por Lula, 19,7% em apoiadores ou apoiados por Bolsonaro. Enquanto para 28,4% não se importam por quem o candidato é apoiado.

Porém, 53,7% ainda não sabem quem são os candidatos ou estão indecisos.

  • Economia

Para 40,5% foi necessário reduzir o consumo de bens e produtos em relação a 2023. Os brasileiros sentiram no bolso o aumento dos alimentos, conta de água e energia.

  • Redes sociais

Entre um dos principais assuntos está o acesso às redes sociais, 74,4% dos entrevistados acreditam que deveria ter alguma regra para impedir postagens com fake news e ofensas.

  • Dengue

Apesar do alerta de epidemia de dengue em diversos estados brasileiros, mais de 70% responderam que ninguém do domicílio contraiu dengue nos últimos 6 meses. Além disso, os entrevistados consideram que o maior responsável pelos casos da dengue seja a população.

Segundo o levantamento, 63,9% estão esperam se vacinar contra a dengue assim que a dose estiver disponível na rede pública. Mas, avaliam que o combate contra o mosquito da dengue realizado pelo Ministério da Saúde foi insuficiente.

COMPARTILHE ESSA NOTÍCIA:

Facebook
Twitter
LinkedIn